a futilidade da arte

Sei bem o que é futilidade, algo sem importância. Sou artista, e mesmo entre os artistas, a arte, sobretudo a dos outros, tem pouco valor.

Um quadro que fiz… um ensaio de pintura digital

O ego do artista precisa ser alimentado, quando não consegue, sobrevêm o tédio suicida.

As pessoas comuns, a multidão, ou seja, se são comuns, só são comuns porque não são amantes da arte. Quem não é artista não sabe o valor da arte.

As pessoas até se esforçam, outras até fingem que entendem a alma de um artista. Mas só um tolo acredita na boa intenção delas. Eu nunca acreditei. A arte para estes é apenas um lapso, um momento de distração, não raro pensam que a obra de um artista não serve pra nada. Eles dizem que poderiam muito bem viver sem ela.

O triste é que isso é verdade. Para eles, o tempo, esforço e energia gastos por um artista para atingir a tão desejada técnica ou maestria em seu oficio é desperdício e trabalho contraproducente.

Como artista, eu posso afirmar que se não fosse pelo simples ato de exercitar meu pinho, jamais tocaria para estúpidos. Na verdade, quando faço, faço para o meu bel-prazer. Quem mais saberá usufruir e admirar a arte mais do que o próprio artistas?

Ainda bem que existe o êxtase do criador em contemplar a sua criação, é por isso que a arte não se extinguiu ainda. Cada artista trata de preservar sua obra, e, de muitas formas divulga, doa, presenteia. Tudo que faz é no afã desesperado de que sua obra chegue às mãos de outra alma que a compreenda e a preserve viva.

Tenho visto o quanto são nobres os falsos amigos da arte, que usam seus conhecimentos, suas influências sociais para expor a intimidade que têm com algum artista. Não raro, são ricos ignorantes que compram obras de arte para ostentar seu poder econômico. Estes são conscientes quando humilham um artista, diferente do povo que absorve arte como passatempo, como distração, sem saber o que de fato estão consumindo. Por isso o avanço promíscuo da cultura de massa.

Apenas os artistas, os verdadeiros artistas, os maduros, os que odeiam a futilidade do dinheiro e do mundo capitalista, os que fazem da arte sua razão de viver, podem de fato preservar a arte e a sanidade do artista.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s